A Crise da Segurança Pública no Brasil

A capacidade de viver com a sensação de segurança é uma condição prévia essencial para o bem-estar da população. O aumento da violência urbana tem em muito contribuído para a violação de direitos humanos e para o aumento da criminalidade em nossas cidades brasileiras. O país nos últimos anos investiu em Segurança Pública o equivalente a países desenvolvidos, porém, não consegue reverter o quadro de medo e insegurança, muito em função de um modelo falido de organização policial e de administração de conflitos. Este estudo tem como objetivo analisar e discutir pontos relevantes na busca de soluções para a crise enfrentada, não somente pelos Estados, como também pela sociedade. A pesquisa consiste de uma revisão bibliográfica de caráter exploratório, descritivo e explicativo a respeito da crise da Segurança Pública no Brasil. Por meio de planos, programas e ações, as Políticas Públicas devem ser concebidas tendo como alvo principal a comunidade local, priorizando uma atuação proativa das policias e não somente seu trabalho repressivo. As melhores práticas na redução da violência e da criminalidade têm se concentrado no tripé aproximação com a população, uso intensivo de informações e aperfeiçoamento da inteligência e da investigação. Diante do exposto, conclui-se uma nova maneira de pensar a proteção e o socorro públicos, baseado na crença de que os problemas sociais, condicionantes da criminalidade, terão, cada vez mais, soluções efetivas, na medida em que existe participação ativa das comunidades na sua identificação, análise, proposta e implementação de ações conjuntas para a busca de soluções.