A importância da atuação do enfermeiro em unidade de terapia intensiva: uma revisão integrativa

A atuação do profissional de enfermagem no serviço de saúde é de grande importância, pois é o profissional que permanece o maior tempo com o paciente. Uma das suas diversas atuações é na linha de frete no cuidado ao paciente em terapia intensiva, o que requer muito conhecimento e competência em sua pratica diária. Nesta perspectiva, levando em consideração que a UTI, seja uma ambiente de alta complexidade. O objetivo desse estudo foi em revisar a importância da atuação de enfermagem, no ambiente de terapia intensiva. A coleta de dados foi realizada no período de 01 a 19 de setembro de 2018, utilizando para a pesquisa as bases de dados das revistas eletrônicas: Scientific Eletrônic Library Online (SCIELO), Google acadêmico e o conselho federal de enfermagem (COFEN). Foram obtidos 31 artigos, dos quais apena 8 estavam de concordância com os objetivos do estudo. . Em todos os artigos pesquisados, estes fatores são citados como obstáculos que impedem ou dificultam a pratica da enfermagem na execução de suas tarefas diárias. Dentro do seu planejamento esta a assistência sistematizada de enfermagem (SAE), que e fundamentada pela Resolução COFEN nº272/2002 que dispõe a implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) deve ocorrer em toda instituição de saúde, pública e privada, e que as ações privativas do enfermeiro são a implantação, planejamento, organização, execução e avaliação do processo de enfermagem. Com esse estudo pode-se concluir que: o enfermeiro é a peça chave no atendimento em terapia intensiva, devido suas habilidades diversas.
PALAVRAS-CHAVE: Terapia intensiva. Cuidados intensivos. Enfermagem.