Educação Inclusiva: A Escola Regular Como Espaço De Formação Para Alunos Com Necessidades Especiais

O presente artigo tem por finalidade refletir sobre a Educação Inclusiva, compreendendo que a inclusão de crianças nas escolas regulares de ensino é um processo complexo e em construção. O estudo direcionou para os obstáculos enfrentados na realização de uma sociedade inclusiva, principalmente no que se diz respeito ao campo escolar, como, a discriminação, a falta de conhecimento da sociedade e a falta de formação dos profissionais na área da educação, que dificultam ou impedem o conhecimento e a aprendizagem de todos na escola. Apesar dos avanços na troca de ideias, como as políticas públicas que falam sobre inclusão social e escolar, observamos que ainda não existe um acordo, tampouco uma ideia concluída do que viria a ser uma sociedade inclusiva; diante dessa confirmação, neste trabalho buscamos reforçar a importância da família que contribui significativamente para o desenvolvimento das capacidades de cada indivíduo. De modo que a difícil compreensão do tema nos deixa enxergar que são muitas as dificuldades envolvidas como preconceitos, incertezas e inseguranças, sobretudo em recém-licenciados que não possuem experiência com crianças ou adolescentes com necessidades educacionais especiais. Concluiu-se que o processo de inclusão se refere basicamente a um processo educacional, que visa tornar mais ampla a capacidade do aluno portador de deficiência na classe regular e no meio social. Sendo assim, as crianças e adolescentes estão assegurados por leis e estatutos que garantem o acesso e a permanência nas instituições escolares.