Educação inclusiva de crianças com transtorno espectro autista - tea

RESUMO: O presente artigo tem como finalidade demonstrar a importância do atendimento exclusivo para indivíduos portadores de necessidades especiais bem como aos portadores de Transtorno Espectro Autistas - TEA em instituições de ensino, tendo como objetivo de inseri-los em salas de aulas de escolas regulares. A inclusão escolar surgiu com a Declaração de Salamanca em 1990, essa ação permitiu a interação entre crianças portadoras de necessidades especiais e crianças sem necessidades especiais, no mesmo ambiente escolar, convivendo e respeitando as diferenças (LIMA, 2006). A Declaração de Salamanca (1994) ainda relata que o elemento chave para o resultado positivo das escolas inclusivas é que todos os educadores disponham de um preparo especifico e recomenda também que na formação inicial o docente adquira orientação conveniente, que possuam capacidade de diagnosticar, analisar e adaptarem-se as necessidades especiais, produzindo o conteúdo curricular para trabalhar juntamente com pais e especialistas, uma vez que muitos professores desconhecem particularidades da deficiência e por não possuírem formação especifica sobre a inclusão de crianças com Transtorno Espectro Autista - TEA. Uma das estratégias para proporcionar inclusão, é a adaptação de conteúdos curriculares, segundo (MARCHESI,2004).


Palavras-chaves: Transtorno Espectro Autista -TEA, Inclusão à Educação infantil;