O estresse ocupacional e a síndrome de Burnout em enfermeiros da uti: revisão da literatura

O estresse ocupacional e a síndrome de Burnout atravessam os anos como uma das principais causas de afastamento das atividades laborais por profissionais de diversas áreas. Entretanto, profissionais de saúde e principalmente o enfermeiro estão entre as classes profissionais com elevadas taxas de estresse, sobretudo, quando a atuação deste profissional acontece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Trata-se de uma revisão da literatura que teve como objetivo discursar sobre o estresse ocupacional e a síndrome de Burnout e as suas consequências para enfermeiros atuantes na UTI. A literatura relata o adoecimento destes profissionais com causas associadas à agentes estressores em ambiente laboral de forma ampla. Diversos estudos apresentam as graves consequências do esgotamento físico, mental e emocional de enfermeiros na UTI, evidenciam que este tipo de adoecimento é verificável tanto em enfermeiros atuantes em instituições privadas quanto em instituições públicas.