O papel da enfermagem nos cuidados paliativos

A assistência através dos cuidados paliativos é dirigida para pacientes portadores de doenças: oncológicas, neurológicas, renais crônicas, AIDS, metabólicas, genéticas, etc., potencialmente letais a curto ou médio prazo e, que não respondam a tratamentos disponíveis com finalidade curativa. A diferença entre o sistema tradicional de assistência para pacientes que padecem de doença incurável e o sistema de cuidados paliativos consiste na abordagem, ou seja, abarca o paciente, sua família e uma equipe interdisciplinar formada por médicos, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, entre outros. O tratamento proporcionado é voltado para a dor e outros sintomas físicos, emocionais, sociais e espirituais, objetivando melhorar a qualidade de vida dos pacientes e suas famílias, dentro do limite de cada paciente e a preparação para uma morte digna. O presente trabalho é desenvolvido através de pesquisa bibliográfica na literatura nacional e internacional, tendo como objetivo demonstrar a relevância da equipe de enfermagem como elo fundamental na implantação dos cuidados paliativos, para o paciente e sua família, através do estudo dos cuidados paliativos, sua origem, conceito, princípios, documentos nacionais e internacionais e a forma de intervenção da equipe de enfermagem, tratando deste tipo de assistência como um direito humano fundamental.

Palavras-chave: Cuidados Paliativos. Enfermagem. Direito Humano Fundamental. Qualidade de vida. Interdisciplinaridade.