Tratamento Psicoterápico em Instituições Hospital-Dia

Este trabalho, de abordagem qualitativa, está baseado em pesquisa exploratória de literatura especializada na área de saúde e teve como proposta compreender o tratamento psicoterápico de paciente mental numa unidade de saúde denominada Hospital-dia. Os temas abordados no referencial teórico os quais contribuíram para a elaboração e análise deste artigo constam da vasta literatura e publicações disponíveis nas áreas de medicina, psicologia, enfermagem e psiquiatria. Os temas abordados foram: I) Permanência em hospital-dia; II) Assistência prestada ao doente mental em hospital-dia; III) Atividades realizadas no transcorrer da internação em hospital-dia. O presente estudo pode contribuir com as reflexões sobre novas fornias de assistir a pessoas em sofrimento mental, tendo em vista os propósitos da Reforma Psiquiátrica, que propôs a desconstrução e a desinstitucionalização das práticas hospitalares, paralelamente à formulação de novos modelos de assistência ao portador de transtorno mental. O modelo asilar dos hospitais psiquiátricos vem sendo gradualmente substituído pelo tratamento em sistema aberto ou extra-hospitalar: os NAPS (Núcleo de Assistência Psicossocial), CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), CERSAMS (Centro de Referência em Saúde Mental) centros de convivência e hospital-dia testemunham esse processo. Tais programas representam uma possibilidade de resgate da cidadania dos portadores de transtorno mental.