REFLEXÕES SOBRE A ESPORTIVIZAÇÃO DAS PRÁTICAS NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E O DESAFIO DA INCLUSÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIAS

Marcus Vinícius Palmeira; Marcos Cezar de Freitas

RESUMO
Esse artigo tem o objetivo de levantar informações sobre como se deu a inserção das práticas esportivas nas aulas de educação física escolar, bem como compreender como é tratado pedagogicamente esse conteúdo, e os reflexos do trato pedagógico no processo de inclusão de alunos com deficiências nas aulas de educação física. Foi escrito com base em reflexões sobre a produção literária que aborda aulas de educação física escolar em uma perspectiva na qual a ênfase no gestual motor e em práticas competitivas são priorizadas, reduzindo as possibilidades para inclusão dos alunos com deficiências. Conclui-se que nas condições concretas do aluno com deficiências nas aulas de educação física, a reprodução ritualística do esporte de rendimento no ambiente educacional tem se apresentado como fator contrário a inclusão.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
AGUIAR, J. S.; DUARTE, E. Educação inclusiva: Um estudo na área da Educação Física. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, Mai-Ago. 2005, v.11, n.2, p.223-240.
ALBUQUERQUE, L. R. A constituição histórica da Educação Física no Brasil e os processos da formação profissional. In: IX Congresso Nacional de Educação - Curitiba-PR: EDUCERE, 2009.
BETTI, M. Educação Física e sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.
BOATO, E. M. A educação física escolar frente aos desafios da educação inclusiva. In: Educação física e os desafios da inclusão. Vitória, ES: EDUFES, 2013.
BRACHT, V. Esporte na escola e esporte de rendimento. Movimento - Ano VI - Nº 12 - 2000.
BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: educação física. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Fundamental, 1998.
BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB n. 2, de 11 de setembro de 2001. Brasília: CNE/CEB, 2001.
BRASIL. Lei n º 13. 146, de 06 de julho de 2015, institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF: 2015.
BRASIL. Decreto nº 69.450, de 1 de novembro 1971. Brasília: DF, 1971.
CAPARROZ, F. E. Entre a educação física na escola e a educação física da escola. Vitória: UFES, 1997.
CARDOSO, C. S. Aspectos Históricos da Educação Especial: da exclusão a inclusão uma longa caminhada. Educação, n. 49, p. 137-144, 2003.
CARVALHO, R. E. Removendo barreiras para a aprendizagem. In: BRASIL. Ministério da Educação Secretaria de Educação a Distância. Salto para o Futuro: Educação Especial: tendências atuais. Brasília: SEED, 1999.
CARVALHO, C. L.; ARAÚJO, P. F. Esporte: Um conteúdo excludente ou inclusivo na Educação Física Escolar? Revista Conexões - Faculdade de Educação Física da UNICAMP, Campinas, v. 13, n. 4, p. 100-118, out./dez. 2015.
CIDADE, R. E.; FREITAS, P. S. Educação Física e Inclusão: Considerações para a Prática Pedagógica na Escola. Integração, v. 14 – Edição Especial - Educação Física Adaptada -, p. 27-30, 2002.
CHICON, J. F. Inclusão e exclusão no contexto da educação física escolar. Movimento, Porto Alegre, v. 14, n. 1, p. 13-38, jan./abr. 2008.
DANTAS JUNIOR, H. S. A esportivização da Educação Física no século do espetáculo: Reflexões historiográficas. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.29, p.215-232, mar.2008.
DAOLIO, J. Da cultura do corpo. 13ª ed. São Paulo: Papirus, 2010.
DAÓLIO, J. A antropologia social e a educação física: possibilidades de encontro. In: CARVALHO, Y. M.; RÚBIO. K. Educação física e ciências humanas. São Paulo: Hucitec, 2001.
FIORINI, M. L. S.; MANZINI, E. J. Formação do professor de Educação Física para inclusão de alunos com deficiência. Revista Poíesis Pedagógica, Catalão-GO, v.12, n.1, p. 94-109, jan/jun. 2014.
FONSECA, R. T. M. O Novo Conceito Constitucional de Pessoa com Deficiência: um ato de coragem. In: FERRAZ, C. V. et al. (Coord.). Manual dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Edição Digital. São Paulo: Saraiva. 2012.
FURTADO, R. S.; BORGES, C. N. F. Educação Física e História: Entre Ciências e Crises. Revista Kinesis, Santa Maria v.36, n.3, p. 128–140, set-dez. 2018.
GORGATTI, M. G. Educação física escolar e inclusão: uma análise a partir do desenvolvimento motor e social de adolescentes com deficiência visual e das atitudes dos professores. 205. 173 f. Tese (Doutorado) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.
GUERIERO, D. J.; ARAÚJO, P. F. A. Educação física escolar ou esportivização escolar? Revista Digital. Ano 10 - N° 78 – Nov. Buenos Aires: 2004.
ILHA, F. R. S.; HYPOLITO, Á. M. Esportivização da Educação Física Escolar: Um dispositivo e seus regimes de enunciação. Revista Movimento, v. 22, n. 1, 173-186, jan./mar. Porto Alegre: 2016.
KUNZ. E. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ed.7, Ijuí: Unijuí, 2006.
MANTOAN, M. T. E. Inclusão Escolar: caminhos, descaminhos, desafios, perspectivas. In: O Desafio das Diferenças nas Escolas. Petrópolis: Vozes, 2008. Cap. 1, p. 29-42.
MACEDO, C. G.; GOELLNER, S. V. A escolarização do esporte nas décadas de 1920 e 1930: A Associação Brasileira de Educação Física e a energização do caráter. Revista Brasileira de Ciência do Esporte, v. 34, n. 1, p. 253-260, jan./mar. Florianópolis: 2012.
MEDINA, J. P. S. A Educação Física cuida do corpo... e “mente”: a base para a renovação e transformação da educação física. 7. ed. Campinas: Papirus, 1987.
NEIRA, M. G; NUNES, M. L. F. Pedagogia da cultura corporal: crítica e alternativas. São Paulo: Phorte, 2006.
RAMOS, J. M.; WINCKLER, C., BUCIOLI, S. A. Educação inclusiva na perspectiva dos professores de educação física do município de Santo André. Revista Conexões. Universidade Estadual de Campinas – SP. vol. 14, n. 2, p. 1-16, 2016.
RUBIO, K. Educação física e ciências humanas. São Paulo: Hucitec, 2001.
SASSAKI, R. K. Inclusão: Construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1997.
SOARES, C. L.; TAFFAREL, C. N. Z.; VARJAL, E.; CASTELLANI FILHO, L.; ESCOBAR, M .O.; BRACHT, V. Metodologia do ensino da educação física. São Paulo, Cortez, 1992.
TAFFAREL, C. A prática pedagógica na produção do conhecimento e formação acadêmica na área de Educação Física. Esporte no Nordeste do Brasil. Relatório de Pesquisa financiada pelo CNPq Processo nº 521941/96-2 (NV). Recife: UFPE, 1998.
TAFFAREL, C.; LACKS, S.; SANTOS JÚNIOR, C. L. Formação de professores de Educação Física: estratégia e táticas. Motrivivência. Ano XVIII, Nº 26, P. 89-111 Jun./2006.
UNESCO. Declaração de Salamanca: sobre princípio política e prática em educação especial. 1994. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf, Acesso em: 10 set. 2017.

Participe você também da maior rede acadêmica da Educação Física Escolar. Entre em contato se tiver mais dúvidas.

rebescolar@rebescolar,com

 

Tel. +55 (11) 98508-7766

  • White Facebook Icon
  • White YouTube Icon

Bottom

Top