O perfil dos(as) professores(as) Educação Física

13.02.2019

 

            Entre tantos desafios travados pela Educação Física, em especial aquela do seio escolar, ainda parece haver a necessidade de maior entendimento da sociedade sobre o seu papel e qual a sua identidade.

            Essa consideração foi feita após a leitura de uma prova aplicada em um concurso público para seleção de professores e professoras de Educação Física, em fevereiro de 2019, na cidade de São Caetano do Sul, SP, para atuação no ensino fundamental (educação básica)

            Uma seleção pública no formato de concurso público deve estar atenta ao perfil profissional que preencha as necessidades referente ao cargo disponível.

Sendo assim, a partir das questões apresentadas na respectiva prova levantam-se alguns questionamentos:

  1. O referencial adotado para elaboração das questões, tem representatividade acadêmico – científica?

  2. Qual entendimento os responsáveis pela seleção têm em relação à Educação Física?

Tantos outros questionamentos foram possíveis para este momento. Entretanto esses que foram elencados por inquietações pessoais, e contribuem para algumas reflexões que talvez alguns colegas de profissão já tenham realizado.

Sabe-se que a Educação Física sofreu influências médicas e militares em sua constituição (Magalhães, 2005). Embora os médicos tenham fundamentado suas discussões em bases científicas, é essencial que se evidencie o aumento do número de pesquisas e, por consequência, o avanço de conhecimentos da área, especialmente nas últimas décadas. Estes estudos oportunizaram grande avanço e reconhecimento da Educação Física como disciplina – componente curricular obrigatório na educação básica (Lei 9394/96).

Porém, mesmo após tantos avanços, parece que uma parcela da população e, o que é pior, profissionais da área, fundamentam os conteúdos básicos necessários para a prática docente em regulamentos esportivos, tratados médicos, de treinamento e ainda da fisiologia do esforço (e não do exercício), demonstrando traços de uma formação estritamente biologizada e, que por sua vez, assume caráter biologizante, voltada para prática, assim como aquela preconizada por militares no início do século XX.

O referido concurso apresenta tais características explicitada nas questões da prova, selecionando ao meu ver, preparadores físicos, ou seja, educadores do físico. Precisamos, para a escola contemporânea de professores e professoras que compreendam o seu papel e as necessidades do século XXI.

A Educação Física Escolar precisa urgentemente de ser vista em uma perspectiva mais ampla, criando possibilidades para maior e melhor entendimento da cultural corporal, promovendo criticidade e autonomia para os escolares, e que sejam pautadas em teorias curriculares que reconheçam a diversidade e os direitos humanos.

A Educação Física, dentro do que se propõem nos Parâmetros Curriculares Nacionais, é a área do conhecimento que introduz e integra os alunos na cultura corporal do movimento, com finalidades de lazer, de expressão de sentimentos, afetos e emoções, de manutenção e melhoria da saúde (PCN, 1998, p.62).

           

Para a Educação Física escolar de nossas crianças, eu quero um professor ou uma professora, consciente das demandas deste novo tempo.

 

Referências

MAGALHÃES, Carlos Henrique Ferreira. Breve histórico da educação física e suas tendências atuais a partir da identificação de algumas tendências de ideais e ideias de tendências. . Maringá, v. 16, n. 1, p. 91-102, 2005.

________. Lei de diretrizes e bases da educação nacional: Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

________.PCN - Parâmetros Curriculares Nacionais: Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental. Educação Física. Secretaria de Educação Fundamental. Ministério da Educação. Brasília. Brasil. 1998.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

EDIÇÃO DE NOVEMBRO DE 2019 - NO AR

December 6, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

BUSCA POR DATA
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square